sábado, 31 de julho de 2021

A Dor Maior - Victor S. Gomez

A Dor Maior - Victor S. Gomez

As vezes me sinto atacado por vozes,

vozes que surgem dos labirintos do meu cérebro,

dos recantos mais escondidos da minha mente,

gritos que me emperram.

Tenho andado tanto,

buscando novos caminhos,

tentando esquecer o que me trouxe até aqui,

mesmo que isso me custe a vida.

Quem sofre tem seus motivos,

ou simplesmente pegou emprestado os motivos de outro.

Eu cruzei a escuridão,

fugi de um tempo de angustias,

um tempo em que você existia apenas como um espectro,

hoje não acredito mais nisso e peço apenas que suma daqui.

As vezes penso,

que não sei realmente nada,

que tudo que fiz até agora não valeu a pena,

que tudo não passou de uma miragem.

apenas um engano.

Tudo foi real,

tão real quanto a vida dos que se foram.

Acredite que quem matou o coração do outro ira pagar,

por todo sofrimento que causou,

então não posso me poluir pelo que foi feito,

pelo erro de outro.

sábado, 12 de junho de 2021

ARRANHA-CÉU – SYLVIO CALDAS

ARRANHA-CÉU – SYLVIO CALDAS

Compositor: Silvio Caldas/Orestes Barbosa 


Cansei de esperar por ela

Toda noite na janela

Vendo a cidade a luzir


Nestes delírios nervosos

Dos anúncios luminosos

Que são a vida a mentir


E cada vez que subia

O elevador não trazia

Essa mulher, maldição


E quando lento

Gemia o elevador que descia

subia o meu coração


Cansei de olhar as reclames

E disse ao peito não ames

Que o teu amor não te quer


Descansa, fecha a vidraça

Esquece aquela desgraça

Esquece aquela mulher


Deitei-me! então sobre o peito

Vieste em sonho ao meu leito

E eu acordei... que aflição!


Pensando que te abraçava

Alucinado apertava

Eu mesmo o meu coração


terça-feira, 4 de maio de 2021

O trem chegou na estação de Conservatória

Texto e foto: Victor S. Gomez

Conservatória é responsável por quem cativa.

Hoje estou em Valença RJ,

Mas assim que der volto pra lá,

Eu voltei pra casa,

Mas meu coração ficou em Conservatória.


Por todos os cantos eu vejo Conservatória,

Onde quer que eu esteja ela me acompanha,

Eu amo Conservatória de qualquer jeito,

Distante ou perto, Conservatória não me sai da cabeça.


O trem chegou na estação,

Demorou mas chegou,

Não tinha mais ninguém aguardando sua chegada.

As vezes pensamos que não tem ninguém,

Mas suas imagens estão lá,

Presas na luz.

Presas no tempo das boas lembranças.